Blog

29Abr

Pilates e estabilidade pélvica

Pilates e estabilidade pélvica



A propriedade de uma articulação em se manter estável depende da interação de vários fatores, dentre eles, a ação neuromuscular. A pelve juntamente com a coluna lombar formam uma região conhecida como lombo-pélvica ou cilindro de estabilidade lombo-pélvica. A estabilidade dessa região é crucial, pois serve como base para os movimentos das extremidades corporais superior e inferior, suportando cargas e protegendo a coluna. Sendo assim, a manutenção de uma boa estabilidade nessa região reside entre outros fatores, no fato de a instabilidade nos músculos dessa região estarem cada vez mais frequentemente relacionados com lombalgias. 

 

Ora, quando falamos em estabilização da pelve e na ação neuromuscular, é impossível fazer a dissociação da musculatura envolvida na ativação do centro de força. 

 

Um programa de treinamento por meio do método Pilates pode ser utilizado para a estabilidade da pelve baseado no princípio da centralização, ajudando o aluno a obter ganhos de força, potência, resistência e controle neuromuscular, objetivando a facilitação do funcionamento muscular equilibrado, já que a função da ativação do Power House é estabilizar a coluna e a pelve durante os movimentos, proporcionando uma base de suporte para os movimentos dos membros e do tronco, uma vez que os músculos, assoalho pélvico, parede abdominal e músculos do quadril, devem ser mantidos em contração isométrica durante execução dos exercícios do método Pilates. 

 

Através dos exercícios da contrologia aprendemos a controlar a ativação de tais músculos, fortalecendo-os e alongando-os, restaurando e conservando o equilíbrio articular indispensável para garantir a estabilidade e bom funcionamento articular. 

 

A seguir alguns exemplos de exercícios que podem ser utilizados dentro do Método Pilates para melhorar a estabilidade pélvica: 

1. One leg circle: em decúbito dorsal. Uma perna permanece com o quadril fletido 90º, a outra perna permanece com o quadril estendido. Realizar um circundução do quadril com a perna que esta fétida a 90º. 

2. Ponte na bola: em decúbito dorsal. Pés apoiados na bola. Realizar a elevação do quadril subindo uma vértebra de cada vez. Não deixar a bola deslizar. Retornar a posição inicial vértebra por vértebra. 

3. Swimming (variação): Em decúbito ventral com os braços acima da cabeça. Eleve ligeiramente as pernas e os braços. Pulse alternadamente os braços e as pernas para cima e para baixo.  

4. Jacknife: em decúbito dorsal com o quadril a 90º e joelhos estendidos. Elevar o quadril enrolando a coluna deixando o peso corporal apoiado na cintura escapular, jamais na região cervical. Retorne a posição inicial descendo lentamente as pernas paralelas ao chão rolando vértebra por vértebra até a posição inicial.

DATA: 29 DE Abril DE 2015 / CATEGORIA: Artigo

VOLTAR

© 2015-2016 pilatesavancado.com.br. Todos os direitos reservados.

Powered by Eduardo Bibiano.